Home » Destaque, Notícias » Crise na saúde de Campinas leva residentes a entrarem em greve

greve residentesOs médicos-residentes do Hospital Dr. Mário Gatti, em Campinas (SP), fizeram um ato na manhã desta terça-feira (26) na frente da unidade de saúde e cruzaram os braços em protesto contra o déficit de funcionários e de organização para as cirurgias eletivas —procedimentos necessários, mas não emergenciais —no hospital. Além disso, a categoria reivindica o retorno do pagamento da bolsa de auxílio moradia. O grupo também decidiu ampliar a greve para os setores de enfermaria e centro cirúrgico. O balanço dos procedimentos adiados não foi divulgado até as 13h.

A paralisação começou no dia 18 e tem a adesão de 53 dos 91 médicos-residentes do Mário Gatti. Os bolsistas do setor da ortopedia não interromperam as atividades. Segundo o representante dos residentes, Daniel Carmona dos Santos, a média é de cem cirurgias canceladas por mês na unidade com justificativas variadas e que prejudicam tanto os pacientes, quanto a formação dos especialistas.

Ainda de acordo com Santos, a reincidência de problemas internos provoca a suspensão de cirurgias por diferentes motivos, como falta de anestesistas e de profissionais das áreas de enfermagem. “Isso se arrasta desde 2011 e a situação tem agravado. Os reflexos ocorrem diretamente no nosso processo de aprendizagem que necessita da prática para a formação e treinamento na especialidade”, afirma. No início do mês, durante dez dias os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, decidiram suspender a realização das horas-extras. O ato chegou a adiar 65 cirurgias agendadas.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

© 2013 SINDIMED