Home » Artigos, Destaque » Campinas Desgovernada

DSC_6070Todos nós que amamos, ou porque nascemos, ou porque escolhemos Campinas como nosso lar, estamos estarrecidos e bastante preocupados com os rumos que nossa cidade tem tomado nos últimos meses. A sensação é de que a cidade está completamente desgovernada.

Após 8 meses de seu início, a nova administração municipal ainda não disse a que veio. A cidade está completamente a deriva.

  • Greve da Emdec; greve da Guarda Municipal;
  • Greve da Polícia Civil; greve dos Agentes de Saúde;
  • Greve surpresa dos Motoristas e Cobradores de Ônibus, inclusive com bloqueio físico das principais vias da cidade (apesar de pagarmos uma das maiores tarifas do mundo);
  • Invasão e quebradeira na Câmara Municipal;
  • Conselho Tutelar atendendo no meio da rua, por falta de condições básicas para uso do prédio que o sedia;
  • Rede Básica de Saúde com sua infraestrutura predial sucateada;
  • Grande falta de Médicos e de outros profissionais de Saúde;
  • Falta de leitos hospitalares;
  • Falta de diversos medicamentos e de outros insumos básicos para atendimento da população usuária do SUS Campinas;
  • Ambulâncias do SAMU em condições precárias, que são conduzidas por motoristas despreparados e com registros recordes de acidentes;
  • Déficit crescente de vagas em creches; praças abandonadas e “entregues” à marginalidade;
  • Região central tomado por moradores de ruas e viciados em drogas, sem que se veja qualquer ação social (por vezes, policial) visando cuidar dessas pessoas e humanizar os espaços públicos; educação de péssima qualidade;
  • Segurança pública em fragalhos; etc etc etc… 

Parece que falta vontade política para enfrentar os enormes desafios que se apresentam em Campinas nessa segunda década do terceiro milênio. Com uma postura arrogante, insensível e prepotente, o Secretário de Relações Institucionais, Sr. Wanderley Almeida, tem a cara de pau de declarar que a atual gestão da cidade “vai muito bem, obrigado”. Enquanto isso o nosso Alcaide mergulha no mais profundo e absoluto silêncio. Não dá a minima satisfação ao povo, demostrando total falta de preparo ou compromisso para com o município.

Caro Prefeito Jonas Donizete, já é passada a hora de o Sr. e seu secretariado sairem de seus confortáveis gabinetes, ouvirem as vozes das ruas, arregaçarem as mangas e começarem a trabalhar para enfrentar esses enormes desafios com inteligência, vontade e ousadia. Continuar responsabilizando gestões passadas já não cola mais. Isso foi para os primeiros 3 meses de gestão, já se passaram quase dois terços do seu primeiro ano de mandato e a cidade não poderia estar pior mas, infelizmente, está, e o Sr. não pode mais continuar a se furtar de sua responsabilidade. Em 8 meses de gestão, o Sr. não foi capaz de apresentar uma única ação minimamente estruturante para enfrentar o caos urbano que se instalou em Campinas. Até parece que o Sr. não vive na cidade que governa.

Caro Vereador Campos Filho, presidente da Câmara Municipal (CM), chega de tentar criminalizar os movimentos sociais. Os lamentáveis acontecimentos registrados no último dia 07/08/2013 são um infeliz reflexo da insensibilidade da casa que o Sr. preside, em cumprir com suas obrigações constitucionais e atender às enormes demandas da cidade.

Com um comportamento absolutamente subserviente em relação ao executivo, a nossa CM, há muito, tem perdido a credibilidade e o respeito dos munícipes. Onde está o papel fiscalizador da CM? Temos uma das tarifas de ônibus mais caras do mundo, com um serviço de péssima qualidade e o Sr., com a inestimável ajuda da base governista, vem protelando a instalação da Comissão Especial de Investigação (CEI) dos transportes. Quem o Sr. e a base governista querem proteger? Cumpra a sua obrigação, instale a CEI dos transportes e coloque a CM a serviço da cidade e não de joelhos aos interesses politicos do executivo municipal.

A CM é para fiscalizar o executivo e servir o povo e não para se deixar servir pelo executivo a preço de bananas. O toma lá dá cá de cargos e favores já não é mais tolerado pelo povo.

Campinas está à deriva, em total desgoverno e com seu povo abandonado. O Rei está nú e não resta outra alternativa àqueles que querem que o bem comum prevaleça em nossa cidade, a não ser ocupar as ruas, a CM e a Prefeitura, para que as autridades desçam de seus tamancos e se manquem que já é passada a hora de mudar a forma de fazer política.

Vamos ocupar Campinas, vamos mudar Campinas! A enorme riqueza que produzimos não pode mais ser usada para atender aos inconfessáveis interesses da especulação imobiliária e dos já privilegiados moradores do eixo Botafogo, Cambuí e Nova Campinas.

Casemiro dos Reis Júnior
Presidente do Sindicato dos Médicos de Campinas e Região
Presidente da Federação dos Médicos do Estado de São Paulo

Deixe uma resposta

© 2013 SINDIMED