Home » Destaque, Notícias » Médicos ameaçam greve em Sumaré

casO presidente do Sindimed (Sindicato dos Médicos de Campinas e Região), Casemiro dos Reis Junior, afirmou ontem que a categoria irá declarar greve em Sumaré, na próxima terça-feira, caso não haja acordo com a prefeitura sobre o pagamento do salário dos profissionais, referente aos meses de janeiro e fevereiro. O sindicato e os médicos devem se reunir hoje com o Executivo para tentar chegar a um acordo. Desde 26 de março, os profissionais de unidades de saúde do município operam em “marcha lenta”.

Segundo Reis Junior, se o resultado da reunião de hoje não for positivo, na terça-feira os médicos irão fazer uma assembleia para decretar a greve. Ele afirmou que a decisão será comunicada ao MPT (Ministério Público do Trabalho) e à prefeitura para que o movimento não seja considerado ilegal. Caso realmente venha a acontecer, a paralisação deve começar no sábado – a legislação prevê que nos serviços essenciais, o aviso prévio à greve deve ser dado com 72 horas de antecedência. “Os médicos precisam receber o salário”, disse o presidente.

O entrave começou depois que a prefeitura teria repassado somente 70% dos valores devidos à RPS Clínica Médica referente ao período de 20 de janeiro a 20 de fevereiro deste ano – na época, a empresa ainda operava no município, fornecendo horas de serviços médicos. Com a suposta falta de repasse, a RPS deixou de pagar seus funcionários. A Administração nega irregularidades no pagamento da empresa.

Como parte dos médicos da antiga operadora de saúde foram absorvidos pela Ômega Serviços de Saúde, que começou a prestar serviços para o município após a saída da RPS, esses profissionais continuaram trabalhando na cidade e, no mês passado, adotaram a “operação tartaruga”.

A Prefeitura de Sumaré informou que a eventual paralisação dos funcionários deve ser tratado junto à Ômega. “As questões trabalhistas (falta de pagamento) dizem respeito às empresas RPS e Ômega, que devem prestar os esclarecimentos solicitados”, comunicou. O advogado da RPS, Raphael Jorge Tannus, foi procurado, por e-mail, mas não retornou aos questionamentos feitos pela reportagem. A reportagem também ligou no celular da assessoria de imprensa da Ômega, mas as ligações não foram atendidas.

Fonte:
http://www.oliberalnet.com.br/noticia/338FEEE7BE0-medicos_ameacam_greve_em_sumare

Deixe uma resposta

© 2014 SINDIMED